quinta-feira, 19 de abril de 2012

Assistência especial nas viagens em geral

Embarque e desembarque de passageiros que necessitam de assistência especial
O embarque dos que necessitam de assistência será realizado prioritariamente em relação aos demais.
        Esses passageiros deverão se dirigir ao balcão de check-in, portando documento de identificação, com antecedência mínima de 1 hora e 30 minutos para voos nacionais e de 2 horas para voos internacionais, em relação ao horário do voo.
O desembarque desses passageiros será realizado após o dos demais, exceto em caso de conexão, quando o intervalo de tempo para troca de aeronave justificar a priorização.
Esses passageiros devem comunicar a necessidade de assistência especial à empresa aérea no momento em que fizerem sua reserva ou, pelo menos, 48 horas antes do embarque, para que recebam a devida assistência.
Nos aeroportos que não possuem pontes de embarqueou quando a aeronave estacionar em posição remota, deverão ser providos veículos equipados com elevadores ou outros dispositivos apropriados para efetuar, comsegurança, o embarque e o desembarque de pessoas portadoras de deficiência física ou mobilidade reduzida.
O passageiro poderá utilizar a cadeira de rodas ou outras ajudas técnicas (bengalas, muletas, andadores e
outros) para locomover-se até a porta da aeronave, desde que o equipamento passe pela inspeção de segurança do aeroporto.

Direitos dos passageiros que necessitam de assistência especial
•  Atendimento prioritário;
• Telefones adaptados, nas áreas comuns dos aeroportos, e informações na Língua Brasileira de Sinais (Libras), para passageiros com deficiência auditiva;
• Informações em braile (em pelo menos dois idiomas, quando se tratar de um aeroporto internacional), para passageiros com deficiência visual;
• Nos casos em que a empresa aérea exigir um acompanhante para pessoa portadora de deficiência, a empresa deverá justificar o fato por escrito e oferecer desconto de, no mínimo, 80% do valor cobrado pelo bilhete do passageiro portador de deficiência. Vale ressaltar que o passageiro deverá viajar ao lado de seu acompanhante.

São considerados passageiros que podem solicitar assistência especial:
•             Crianças desacompanhadas;                                                                
•             Gestantes;
•             Idosos a partir de 60 anos;
•             Lactantes;
•             Pessoas com criança de colo;
•             Pessoas com mobilidade reduzida;
•             Pessoas portadoras de deficiência.

Gestantes
É importante entrar em contato com a empresa aérea e com o seu médico antes de adquirir a passagem, isso porque algumas empresas têm restrições para o transporte de gestantes.

Passageiros enfermos
É necessário informar a necessidade de atendimento especial à empresa aérea pelo menos 48 horas antesdo horário previsto para o embarque. É comum que as empresas ofereçam a esses passageiros atendimento prioritário.

Transporte de cão-guia
O cão deve ser transportado gratuitamente, no chão da cabine da aeronave, ao lado de seu dono e sob seu controle, na primeira fileira. O animal deverá estar equipado com arreio, dispensado o uso de focinheira.

Viagem nacional - cão-guia
Será obrigatória a apresentação de carteira de vacinação atualizada, com comprovação de vacina múltipla,
antirrábica e tratamento anti-helmíntico, expedida por médico veterinário devidamente credenciado.

Viagem internacional - cão-guia
Será obrigatória a apresentação do Certificado Zoossanitário Internacional, expedido pelo Posto de Vigilância Agropecuária Internacional do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, de acordo com os requisitos exigidos pelo país de destino.
Qualquer dúvida, falar com a  ANAC

Viagens em ônibus - Deficientes Físicos
Em viagens de ônibus dentro do país, a orientação é para que os deficientes se acomodem nas primeiras cadeiras, perto da porta, ou perto do banheiro. Em geral, não existem condições especiais para estes passageiros.


Cuidados no navio
Os navios têm a bordo um médico independente, que cobra pelos serviços prestados, e uma enfermaria. As embarcações mais antigas não têm estrutura para passageiros especiais, principalmente para os que se locomovem com cadeira de rodas, mas os modernos possuem cabines de fácil acesso para portadores de deficiência.
O viajante deve verificar antes do embarque que tipo de facilidades o navio oferece e comunicar a empresa, na hora da reserva, se tem alguma deficiência, problema de saúde, ou se precisa de alguma dieta específica.
Quando o passageiro com problemas de saúde ou portador de deficiência física não é auto-suficiente ou precisa de atenção especial, ele só pode embarcar com um acompanhante que se responsabilize por sua segurança e assistência. Em geral, as empresas não assumem responsabilidades por cuidados adicionais. Normalmente o deficiente tem de levar sua própria cadeira de rodas para o navio.


Viagens de trem - deficiêntes físicos
As companhias de trem orientam seus funcionários a dar assistência aos passageiros que se locomovem com ajuda de cadeiras de rodas ou muletas, ou que precisem de atenção especial. Algumas empresas providenciam cuidados a bordo e cadeiras de rodas se forem avisadas com antecedência.

Muitos trens oferecem facilidades para os deficientes físicos, como banheiros, área para cadeira de rodas e cabines de fácil acesso. Os portadores de deficiência física também têm direito a desconto em algumas companhias.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...